Diretor da OIT manda retirar tuíte com crítica a Bolsonaro
  Veiculo:
VALOR ONLINE (SP)
  Secao:
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
  Data:
2018-11-09
  Localidade:
SÃO PAULO
  Hora:
08:32:59
  Tema:
Justiça do Trabalho
  Avaliação:
NEUTRA
  Autor: Por Assis Moreira | Valor
   

GENEBRA - A embaixadora do Brasil junto às organizações internacionais em Genebra, Maria Nazareth Farani Azevêdo, protestou nesta quinta-feira (8) junto ao diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, contra um funcionário que criticou declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro sobre a qualidade da estatística do desemprego no Brasil.
 
08/11/2018 às 16h42 , (Atualizada às 17h45)

Em um tuíte, Rafael Diez de Medina, chefe de estatísticas e diretor do Departamento de Estatísticas da OIT, tinha considerado 'perigosa' afirmação de Bolsonaro, de que a estatística do IBGE sobre o número de desempregados eram uma farsa e deveria ser mudada. Para Medina, haveria tentação autoritária sobre a coleta dos dados.

A embaixadora brasileira foi ao gabinete do diretor da OIT na tarde desta quinta e reclamou que não cabia nem a um funcionário nem à organização fazer esse tipo de comentários sobre o Brasil, e que seu trabalho não é político e sim técnico.

'O Brasil não aceita e não vê com bons olhos comportamento desse tipo', afirmou a embaixada, insistindo que se tratava de ativismo político e não trabalho técnico que cabe à OIT.

O diretor-geral da OIT se desculpou, instruiu a retirada imediata do tuíte e mandou contatar Rafael Diez de Medina, que se encontrava numa reunião de técnicos de estatística na Dinamarca para questioná-lo e mostrar sua 'inconformidade e desaprovação' a esse tipo de atitude.

Guy Ryder confirmou à representante brasileira a disposição de dialogar com o governo brasileiro. 'Espero que isso não se repita para a manutenção do bom relacionamento do Brasil com a OIT', afirmou a embaixadora Maria Nazareth Farane Azevêdo.

A OIT tem sido um dos principais palcos de oposição ao governo de Michel Temer. A reforma trabalhista foi questionada numa forma acelerada, no comitê de normas técnicas, ainda quando estava sendo implementada.

O nome da embaixadora Maria Nazareth Farani Azevêdo tem sido mencionado como uma opção de Bolsonaro para ser ministro das Relações Exteriores, conforme diferentes artigos publicados nos últimos dias.
 
Leia Direto da Fonte.